O nome “Carapicuíba” tem origem no tupi-guarani e diverge muito o seu significado, que em traduções literais pode significar Peixe que não se pode comer, “Pau Podre”, “aquele que se reúne em poços”, “cascudo”, “escamose”, etc. Porém o nome pode ser uma “tradução” de “Quar-I-Picui-Bae” (“aquele que se resolve em poços”), que era o nome dado pelos índios ao ribeirão que, cortando a cidade, faz divisa com Osasco.

A história da cidade está ligada aos índios, tanto que um dos locais culturais obrigatórios para visitação é justamente a Aldeia de Carapicuíba.

Aldeia de Carapicuíba

Foi uma das doze aldeias fundadas pelo Pe. José de Anchieta (por volta de 1580), quando de sua chegada a São Paulo.

Pe. José de Anchieta

 

Carapicuíba era ponto de passagem e parada dos bandeirantes em direção ao interior. Afonso Sardinha, dono de terras (terra doada pelo Rei de Portugal) na região, aproveitou-se da mão de obra indígena para o cultivo de suas terras e, também por sua ordem, em 1590 construiu uma capela. Mas suas intenções fracassaram e Afonso Sardinha voltou a Portugal.

Afonso Sardinha – 1530c.-1616

A região, a partir de 1610, vivia em clima tenso, devido aos conflitos entre brancos e índios.

Por volta de 1770 o local começou a progredir. Nos arredores da capela foram construídas malocas para abrigar pequenas famílias e comércio. Paralelamente espetáculos de folclore eram exibidos, fazendo da Aldeia de Carapicuíba o maior centro de folclore do Estado de São Paulo na época.

Festa da Santa Cruz, que acontece há mais de 300 anos na Aldeia de Carapicuíba

Em meado de 1854 o Barão de Iguape comprou terras na região, dando o nome de fazenda Carapicuíba.

Barão de Iguape – Antônio da Silva Prado

 

Em 1923 a fazenda Carapicuíba foi vendida a Delfino Cerqueira, que anos mais tarde contratou uma empresa para lotear e construir ruas em suas glebas.

Cel. Delfino Cerqueira

A fazenda, então, estava localizada em dois municípios, São Paulo e Parnaíba, e a divisa deles estava mais para leste do rio Carapicuíba, em Quitaúna, e depois, mais a oeste desse rio, não muito longe da atual sede de Carapicuíba. Essas variações de limites eram comuns e aconteciam por motivos políticos. Cerqueira conseguiu a autorização da Prefeitura de Parnaíba para construir um saladero (matadouro) próximo à estação ali construída pela Sorocabana em 1921 para o embarque de lenha.

Carapicuíba em 1949, entre Barueri e Quitaúna

O desenvolvimento efetivo da cidade, que à época era ainda um pequeno vilarejo, deu-se com a chegada da Estrada de Ferro Sorocabana em meados de 1875, que ligava a capital paulista até Itu, no interior. Porém, a primeira estação (embarcadouro) em seus arredores foi construída em 1921, distante 22 km da estação Julio Prestes, e chamou-se Sylvania. Logo depois foi construído um desvio para a construção, nos arredores do km 21 da via férrea, um desembarcadouro de gado destinado ao abate. Muitos funcionários da ferrovia e do abatedouro fixaram residência na vilarejo, que tomava ares de cidade.

Foto: Ricardo Koracsony

Em 1928 Carapicuíba já era distrito policial. Na década de 30, os pioneiros já acreditavam no povoado que nascia, porque a região possuía clima excelente e terras apropriadas para a cultura de batatinhas, cereais, legumes e hortaliças, onde se cultivavam também o castanheiro europeu e a amoreira.

Antiga estrada da boiada 1960 / Hoje é a Av. Integração da COHAB

Nesta época, cerca de 60 famílias japonesas exploravam parte das terras, a título de arrendamento, cooperadas na atualmente extinta Cooperativa Agrícola de Cotia. O pioneirismo japonês em Carapicuíba foi marcado pelas famílias Wada, Ishimaru, Morioka, Iwakura, Tamai, Hanassumi, Massazumi, Okada, Kakizaki, Ueta, Sakamoto, Magarifuchi, Arakawa, Tani, Kawazaki, Kamyzawa, Guentawa, Iashida, Kunishi, Satomi, Myama, Akyoshi, Yano, Nishizaki, Morizawa, Yamamoto e outras.

Imigrantes japoneses trabalhando na plantação de café (Foto Ilustrativa)

 

 

Fontes:

http://www.hagopgaragem.com/osasco_historia2.html

http://www.estacoesferroviarias.com.br/c/carapic.htm

http://blogdogiesbrecht.blogspot.com.br/2010/12/confusa-historia-de-carapicuiba.html

http://pt.rodovid.org/wk/Pessoa:622484

Comentarios

Comentarios